Navegar na internet é uma tarefa cada vez mais comum para a maioria das pessoas. Porém, apesar de simples, deve ser feita com precaução. Podemos imaginar que navegar na web é como andar pela rua: você pode descobrir diversos lugares e coisas legais, mas deve ter cuidado por onde anda, pois existem muitos locais perigosos.

Enquanto andar na rua por um local perigoso pode arriscar sua integridade física, navegar por lugares perigosos na internet pode arriscar a segurança dos seus dados. O que os criminosos que agem na internet procuram é obter dados pessoais e/ou sigilosos que possam lhes dar algum benefício, tais como senhas de cartões de crédito ou de bancos.

Felizmente a segurança na web tem sido cada vez mais levada a sério. O número de websites que usam a criptografia para proteger seus dados é cada vez maior, e os maiores buscadores têm priorizado estes sites em seus resultados.

Tratando-se de websites, a proteção de dados passa pela transferência de dados através do protocolo HTTPS (seguro) ao invés do HTTP (inseguro). Para isto, o website deve possuir um certificado SSL/TLS, o qual possui uma forte chave de criptografia e permitirá que os dados enviados para um website estejam criptografados, dificultando que eles sejam obtidos por invasores ou por qualquer pessoa, caso você esteja usando uma rede não segura.

Enquanto há poucos anos para se ter um certificado SSL/TLS era necessário desembolsar uma quantia em dinheiro, atualmente já é possível obter certificados gratuitos, como os emitidos pela Let’s Encrypt. Apesar de não ter as garantias de um certificado pago (tais como indenização em caso de quebra da criptografia), os certificados gratuitos possuem uma segurança tão forte quanto muitos dos tradicionais.

Além disso, os navegadores mais populares também estão adotando medidas que priorizam sites seguros. O Google Chrome, mais popular atualmente, têm adotado mudanças para alertar os usuários sobre a segurança de um website. Na versão 68, lançada no último mês de julho, o navegador passou a descrever como “Não Seguro” ao lado da barra de endereço um site que não possui HTTPS. E nas futuras versões, esta descrição será destacada na cor vermelha, enquanto os sites que possuírem HTTPS deixarão de ser destacados com o cadeado verde, pois o Google considera que este deverá ser o padrão.

De fato, um site transferir dados de maneira segura deve ser o padrão. Mas vale lembrar que não é por ter HTTPS que um site é seguro: criminosos também podem criar sites falsos com fins de obter seus dados, mesmo que eles estejam sendo transferidos de maneira segura. Portanto, tenha cuidado ao enviar quaisquer informações pessoais e sigilosas em websites que você não confia.